Prefeito veta lei que introduzia Bíblia em aulas de história


O prefeito pelo PSDB Rodrigo Costa (foto), da Itapema (SC), vetou integralmente o projeto de lei aprovado por unanimidade pela Câmara Municipal que obrigava os professores de história a adotarem a Bíblia como material de apoio. A cidade tem cerca de 48 mil habitantes e fica a 60 km de Florianópolis.

O projeto de lei foi proposto pelo vereador Mouzart Barreto. Ele é presbítero da Assembleia de Deus.

Barreto tinha dito que a lei não infligia a laicidade do Estado, porque não se trata     de uma imposição, mas apenas de uma sugestão aos professores. 

Esse, contudo, não é o entendimento de Costa. Ele afirmou que seu veto se baseou em parecer jurídico segundo o qual a Bíblia não pode ser adotada como 
livro escolar porque se trata de obra religiosa.

Argumentou que a lei contraria o dever de neutralidade do Estado e a harmonia dos poderes da República, além de conter vícios de legalidade.

Além disso, disse que a adoção da Bíblia nas escolas teria um “
efeito multiplicador” porque outras religiões poderiam reivindicar que seus livros sagrados também façam parte do ensino. 

A Câmara poderá rejeitar o veto do prefeito, o que validaria a lei de imediato. Nesse caso, o Ministério Público poderia recorrer à Justiça para que a Constituição tenha o devido respeito por parte dos vereadores de Itapema.
Prefeito veta lei que introduzia Bíblia em aulas de história Prefeito veta lei que introduzia Bíblia em aulas de história Reviewed by Ednaldo Júnior on 19:07 Rating: 5

Nenhum comentário