Pastor deve pagar R$ 300 mil por prometer falsa cura

Órgão cobra Valdemiro Santiago e Igreja Municipal do Poder de Deus por feijões que seriam usados para curar do coronavírus


O Ministério Público Federal (MPF) ajuizou uma ação civil pública pedindo que o pastor Valdemiro Santiago e a Igreja Municipal do Poder de Deus paguem pelo menos R$ 300 mil de indenização por terem divulgado uma cura falsa da Covid-19. O pastor evangélico vendeu sementes de feijão em seu canal no YouTube e afirmou que, se fossem cultivadas, elas curariam o coronavírus.

Valdemiro chegou a citar o caso de um fiel cuja recuperação plena da doença usando os feijões estaria comprovada por um atestado médico. Os vídeos foram publicados em maio. Ele chegava a cobrar R$ 1 mil pelas sementes.

A informação sobre o tratamento foi desmentida pelo Ministério da Saúde, que também é alvo da ação do MPF por ter removido de site a mensagem de alerta contra os anúncios enganosos de Valdemiro. Segundo o órgão, a publicação, feita após pedido do MPF, ficou no ar por pouco tempo e foi removida "sem explicações". Na ação, o MPF pede que a Google Brasil, responsável pelo YouTube, seja obrigada a preservar a íntegra dos vídeos (já removidos da plataforma a pedido do MPF) e forneça os dados cadastrais do usuário que os publicou para que sejam usados na instrução processual. 
Pastor deve pagar R$ 300 mil por prometer falsa cura Pastor deve pagar R$ 300 mil por prometer falsa cura Reviewed by Ednaldo Júnior on 21:04 Rating: 5

Nenhum comentário

Publicidade