Militares, que hoje conspiram contra urnas, ganham R$ 350 mil acima do teto graças a portaria de Bolsonaro

 

Augusto Heleno, Hamilton Mourão, Luiz Eduardo Ramos e Walter Braga Netto (Foto: ABr)

Brasil 247 – Generais do governo federal receberam até R$ 350 mil a mais em um ano após uma portaria assinada por Jair Bolsonaro (PL) e que permite o acúmulo de salários e aposentadorias acima do teto constitucional. Ao todo, 43 militares da reserva se beneficiaram da nova regra. A medida foi editada em abril do ano passado.

De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, o maior aumento foi para o general Luiz Eduardo Ramos, ministro da Secretaria de Governo, que teve direito a R$ 874 mil nos 12 meses desde a publicação da portaria. Se o teto salarial tivesse sido aplicado, ele teria R$ 350,7 mil a menos em seu contracheque.

Com a medida de Bolsonaro, militares ocupantes de cargos no primeiro escalão do governo ganharam mais do que R$ 39,3 mil, que é o salário de um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e o teto do funcionalismo.

Após Ramos, o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, foi o militar que mais ganhou – R$ 866 mil, R$ 342 mil acima do teto constitucional.

Militares, que hoje conspiram contra urnas, ganham R$ 350 mil acima do teto graças a portaria de Bolsonaro Militares, que hoje conspiram contra urnas, ganham R$ 350 mil acima do teto graças a portaria de Bolsonaro Reviewed by Ednaldo Júnior on 06:29 Rating: 5

Nenhum comentário

Publicidade