Desembargadores gostam mais de audiência de custódia que juízes de 1º grau


A pesquisa feita pela Associação de Magistrados Brasileiros (AMB) – “Quem somos: a magistratura que queremos” – revela que os desembargadores gostam mais das audiências de custódia do que os juízes de primeiro grau.  Ao serem questionados se "a audiência de custódia é um importante mecanismo de garantia processual do acusado e deve ser aperfeiçoada", os entrevistados respondiam se concordavam ou não com a questão.

Por determinação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em 2016, as audiências de custódia foram implementadas no país. Nessas audiências, toda pessoa presa é apresentada para um juiz em até 24 horas, para que decida se a prisão é necessária ou não, e se alguma outra medida cautelar pode ser aplicada.

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Rogerio Schietti Cruz, ao Conjur, afirmou que a diferença de posicionamento é pela dificuldade de se realizar as audiências de custódia por tomar muito tempo dos magistrados de piso. O ministro afirma que o motivo mais importante para a audiência de custódia ser mantida é que ela permite ao juiz que verifique se o preso sofreu violência policial. "Há um respeito maior à integridade do preso com a audiência de custódia", afirma. 


Do Bahia Notícias
Desembargadores gostam mais de audiência de custódia que juízes de 1º grau Desembargadores gostam mais de audiência de custódia que juízes de 1º grau Reviewed by Ednaldo Júnior on 16:54 Rating: 5

Nenhum comentário