Em edição desonesta, Jornal Nacional tentou juntar os cacos de Moro

 

Jornal Nacional não se dá por vencido e tenta juntar os cacos de Sergio Moro mesmo após a confirmação da suspeição do ex-juiz nos processos contra Lula





Após o Supremo Tribunal Federal (STF) ter formado maioria (7 a 2) e confirmar a suspeição de Sergio Moro e a inocência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foi intensa a quantidade de manifestações nas redes sociais saudando o restabelecimento da normalidade democrática e o respeito à Constituição.

“O reconhecimento da flagrante suspeição do ex-juiz que ‘julgou’ o presidente Lula é uma vitória da Constituição. Espero que sirva de freio aos que são tentados a servir ao poder sacrificando o Direito, numa espécie de vale-tudo. Sempre entram para a história de modo negativo’, destacou, por exemplo, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB).

No entanto, o principal telejornal do Brasil ainda se esforçou para juntar os cacos do já nocauteado Sergio Moro. A edição do Jornal Nacional de quinta-feira (22) priorizou as falas do ministro Luís Roberto Barroso, que votou contra a suspeição do ex-juiz da Lava Jato. Edson Fachin foi o outro ministro que tentou salvar Moro.

O jornalista Kennedy Alencar, do UOL, criticou a edição feita pelo Jornal Nacional. “Barroso na ofensiva defendendo o ‘cidadão de bem’ e falando da reação dos corruptos. Lewandowski na defensiva e com corte dos dados sobre visão crítica da Lava Jato. O Jn hoje ecoou um pouco aquela edição ‘equilibrada’ e ‘imparcial’ do debate entre Lula e Collor em 1989. Parabéns!”, ironizou.

A desonestidade da edição fez com que o nome ‘Jornal Nacional’ fosse parar nos assuntos mais comentados do Twitter.

Em edição desonesta, Jornal Nacional tentou juntar os cacos de Moro  Em edição desonesta, Jornal Nacional tentou juntar os cacos de Moro Reviewed by Ednaldo Júnior on 09:53 Rating: 5

Nenhum comentário

Publicidade