Governador nega ter pressionado para ser candidatoO governador Rui Costa (PT) negou ontem os rumores de bastidor de que teria tensionado a base aliada para ser candidato ao Senado

 

O governador Rui Costa (PT) negou ontem os rumores de bastidor de que teria tensionado a base aliada para ser candidato ao Senado



Foto: Romildo de Jesus



Por Henrique Brinco 
O governador Rui Costa (PT) negou ontem os rumores de bastidor de que teria tensionado a base aliada para ser candidato ao Senado. O arranjo culminou na desistência do senador Jaques Wagner (PT) de encabeçar a chapa majoritária ao Governo da Bahia, uma vez que o grupo também vai precisar contemplar o PSD e o PP com uma das vagas principais. Segundo o chefe do Executivo estadual, a desistência se deu por uma decisão pessoal de Wagner. 

“Ele  tem todo o direito de ter suas escolhas pessoais, familiares, e depois de oito anos não quer repetir mais quatro, repetir mais oito. [...] Nós respeitamos a posição do ex-governador. E, a partir do anúncio dele, que era o nome natural, nós estamos construindo um consenso de todo grupo político para anunciar a chapa. Vamos trabalhar muito e será a chapa vencedora", declarou na entrega da maternidade Frei Justo Ventura, em Seabra. 

"Há mais de um ano repito a mesma coisa que sou uma pessoa, que me submeto a um projeto coletivo. Eu acredito que assim como esportes coletivos, como futebol, basquete, você só ganha se tiver espírito coletivo. Você não ganha se for apenas um projeto pessoal. Isso eu tenho absolutamente na minha consciência e nas minhas atitudes", emendou. 

Ele garantiu ainda que "não passou de algo absolutamente sem sentido" a história de que teria dito a aliados para que adequassem a chapa diante do desejo dele de concorrer: "A minha candidatura eventualmente a senador não é condição para o grupo. Nunca foi e nunca será. Tenho dito que meu nome está disponível na medida em que uma análise coletiva, que passa por minha análise também, entender que essa candidatura ajuda ao grupo ou não". 

Ainda no evento, ele declarou que a chapa estadual será anunciada com a presença do ex-presidente Lula (PT), um dos principais interessados no arranjo. Nos bastidores corre a informação de que a candidatura de Otto Alencar, que vai substituir Wagner, seria para tentar atrair o PSD para a base petista em âmbito nacional. O anúncio pode ser feito até o dia 13 de março. 
Em discurso, Rui atacou o presidente Jair Bolsonaro. "Eu digo sempre, gente ruim que não vale nada tem em todo lugar, tem em todo lugar, o que eu não esperava era ver gente tão ruim, tão desumana, sentado na cadeira de Presidente da República", criticou. 

Também sobraram críticas para ACM Neto (UB). "Nós temos na Bahia mais de duas mil escolas. Só de escola estadual tinha mais de seiscentas com o nome de apenas uma família. [...] A Bahia não pertence a nenhuma família de oligarquia que se acha dono da Bahia". 

Governador nega ter pressionado para ser candidatoO governador Rui Costa (PT) negou ontem os rumores de bastidor de que teria tensionado a base aliada para ser candidato ao Senado Governador nega ter pressionado para ser candidatoO governador Rui Costa (PT) negou ontem os rumores de bastidor de que teria tensionado a base aliada para ser candidato ao Senado Reviewed by Ednaldo Júnior on 07:33 Rating: 5

Nenhum comentário

Publicidade