Ultimas Postagens
.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

O médico e o monstro


Desde que chegou a Paulo Afonso o médico Luiz Aureliano vem acrescentando à sua biografia um substancial histórico de confusões, além de traduzir-se em sinônimo de arrogância. O atual Secretário Municipal de Saúde agrega em seu currículo uma extensa lista de problemas com os munícipes e, inclusive, autoridades.

Quando respondia pela Direção Administrativa do hospital Nair Alves de Souza, cargo que deixou para assumir a Secretaria Municipal de Saúde, Dr. Luiz Aureliano envolveu-se em uma celeuma com a paciente Gelda Maria dos Santos Silva que o denunciou na Delegacia da Mulher por agressões física e verbal no dia 22 de abril de 2009.

Na sessão ordinária da Câmara Municipal de Vereadores do dia 19 de maio de 2009, o vereador Marquinhos do Hospital usou ásperas palavras ao se referir ao então Diretor do Hospital Nair Alves de Souza, chamando-o de cínico e verme.

O ex-presidente da Câmara Municipal Legislativa, Antônio Alexandre, já se referiu ao Secretário Municipal de Saúde como carrasco nazista e não esconde de ninguém o seu desprezo pelo médico. Alexandre inclusive ameaçou deixar o DEM caso o prefeito Anilton Bastos efetivasse Dr. Luiz Aureliano na Secretaria de Saúde.

Fato sem precedente na história do Legislativo Municipal, os vereadores conferiram ao atual Secretário Municipal de Saúde o título de “Persona non grata”, título este que parece ter servido de combustível ao Dr. Luiz Aureliano que continua acumulando polêmicas, pois tão logo assumiu a pasta da Saúde fechou a maternidade do Hospital Paulo Afonso gerenciando uma instituição pública como se fosse (sem nenhum trocadilho) privada, adotando, assim, o tal choque de gestão moderna.

O prefeito Anilton Bastos, depois de acender o pavio, nomeando o Dr. Luiz Aureliano para a Secretaria de Saúde correu para ver a explosão de longe deixando a bomba nas mãos do simplório e ingênuo vice-prefeito Jugurta Nepomunceno.

Ao nomear o Dr. Luiz Aureliano para a pasta da saúde, o Governo Municipal alega que bate na tecla da meritocracia, mas como medir a produtividade numa saúde sucateada? Ao fechar a maternidade do Hospital Paulo Afonso o senhor secretário falta com respeito ao controle social, caracterizando a inoperância que tomou conta do município por falta de gestão dos serviços públicos essenciais à população.

Assim como na ficção literária de R. L. Stevenson, o Dr. Luiz Aureliano, que não deve nada ao Dr. Jekyll, apresenta um comportamento estranho e de atitudes bruscas e embrutecidas, pelo ao menos a agressão física à senhora Gelda Maria dos Santos Silva e o fechamento da maternidade do Hospital Paulo Afonso deixam isso claro.

Cada vez mais as peripécias do Dr. Luiz Aureliano assemelham-se à dupla personalidade do personagem central do romance de R. L. Stevenson, pois não são raras as pessoas que dizem ser o homem Luiz Aureliano uma pessoa dócil e de bom convívio, o que me faz crer numa inversão de papéis no que se refere ao romance uma vez que no livro o médico é que tem personalidade amável, enquanto o monstro que há dentro dele é de personalidade essencialmente má.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Traduzido Por: Mais Template - Designed By